Inseto aliado contra a acácia-de-espigas libertado em Sobreira

O controlo de plantas invasoras exige um conhecimento aprofundado das espécies em causa e das melhores metodologias de intervenção.

A acácia-de-espigas é das espécies invasoras que causam mais impactes negativos no litoral, encontrando-se já alguns núcleos no nosso território. No dia 30 de junho, a Escola Básica e Secundária de Sobreira, Paredes, acolheu uma experiência piloto, colaborando na aplicação de uma técnica que recorre a um agente biológico – um pequeno inseto de nome científico Trichilogaster acaciaelongifoliae.

Este inseto é um inimigo natural exclusivo da acácia-de-espigas, que põe os seus ovos nas gemas que originam as flores desta planta. Quando as gemas florais recebem os ovos, a planta forma um bugalho no lugar das flores. Sem estas, não há frutos e, sem estes, não há sementes. Assim, o ciclo de vida da planta invasora não se completa e, sobretudo, o seu banco de sementes não aumenta.

Conforme artigo no Invasoras.pt, datado de agosto de 2015, “mais de 12 anos de testes e avaliações de risco em Portugal culminaram naquela que é a primeira autorização para a libertação de um agente de controlo natural de uma planta invasora do nosso país. Num continente muito conservador relativamente ao controlo natural de plantas invasoras, após passagem pelo crivo das autoridades Europeias e Nacionais, que escrutinaram o agente de controlo e os resultados dos testes efectuados, esta é somente a terceira autorização para libertação na Europa” (ver artigo completo). Mais informações sobre controlo natural aqui.

De referir que este controlo é coordenado por uma equipa especializada, no âmbito do projeto Invasoras.pt, e objeto de registo centralizado junto do ICNF.

Com a ajuda do professor responsável, vamos acompanhar a evolução das acácias-de-espigas na Escola Básica e Secundária de Sobreira, numa experiência simultaneamente educativa e de conservação.