Percursos pedestres


A Rede de Percursos Pedestres do Parque das Serras do Porto encontra-se em fase final de implementação. Integra 1 Grande Rota, com cerca de 59 quilómetros, e 17 Pequenas Rotas interligadas entre si, convidando a partir à descoberta das seis serras e dos dois vales fluviais que compõem esta paisagem protegida.

Embora sejam já visíveis no terreno elementos de sinalética (ex. balizas de percurso, setas direcionais, placas de aviso), deve-se ter em consideração que este trabalho não está concluído e tomar as devidas precauções.

A Web App desta Rede de Percursos Pedestres está em fase de experimentação, mas poderá aceder à mesma para consultar informação útil sobre os vários percursos. Tenha por favor em atenção que está ainda em atualização: www.serrasdoporto.pt/trilhos.

 

Recomendações e normas de conduta:
 
MUITO IMPORTANTE > Seguir sempre pelos caminhos e trilhos sinalizados, não nos afastando das marcações existentes ao longo dos percursos, por razões de segurança, devido à ocorrência no território de antigas cavidades mineiras, como fojos e respiros, eventualmente camufladas pela vegetação.
 
> Antes de efetuar um percurso, informe-se sobre o Índice de Risco de Incêndio (www.ipma.pt/pt/riscoincendio/rcm.pt) e o Calendário Venatório das Zonas de Caça (www.icnf.pt/caca/calendariovenatorio), dado que podem implicar cuidados acrescidos ou mesmo condicionar a circulação.
 
> Antes de nos aventurarmos pelos percursos pedestres, devemos recolher informação útil sobre os mesmos, nos painéis interpretativos, na plataforma digital, visitando as Lojas Interativas de Turismo ou outros espaços de apoio ao visitante.
 
> Avaliar previamente se a nossa condição física se adapta às características do percurso a realizar.
 
> Optar por calçado adequado e vestuário confortável e adaptado às condições meteorológicas.
 
> Levar sempre água e alimentos para repor a hidratação e a energia ao longo do percurso.  

> Não atear fogo nem fazer fogueiras, pois podemos provocar incêndios florestais.
 
> Não capturar animais nem danificar os seus ninhos ou outros abrigos, assim como não recolher nem danificar plantas, fósseis, peças arqueológicas ou outros vestígios.

> Nas povoações ou na proximidade de habitações ou moinhos, não danificar as culturas e respeitar os costumes e bens da população local. Não entrar em propriedade privada sem prévia autorização.

> Guardar os resíduos que produzir, depositando-os em local adequado, assegurando nomeadamente a sua separação.

> Respeitar a Natureza e a tranquilidade dos locais, não perturbar a vida selvagem produzindo ruído excessivo.

> Ter atenção ao que nos rodeia e ao património e registar o que vamos observando, através de fotografia ou desenho. Contribuir para projetos de ciência cidadã, como o biodiversity4all.org ou o invasoras.pt.